Algumas regras sobre o transporte de produtos

0
0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 LinkedIn 0 0 Flares ×

Desde julho de 2017, o transportes de produtos perigosos passou por algumas mudanças, entrando vigor a Resolução 5232/2016, de acordo com notícia divulgada pela Confederação Nacional de Transporte Terrestre (CNT). O foco da organização é deixar o transporte destes tipos de produto ainda mais seguros e organizados. Neste sentido, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) criou, em dezembro de 2016, a Resolução que reorganiza e amplia a lista das mercadorias consideradas perigosas no Brasil. Um dos principais motivos é que a indústria química tem desenvolvido novas substâncias e itens que não estavam listadas na norma anterior (Resolução nº 420/2004).

A nova regra entrou em vigor em 1º de julho de 2017, sendo que os produtos considerados perigosos devem ser embalados e identificados conforme os critérios já pré estabelecidos. Além disso, essas mercadorias precisam ser preparadas e transportadas sobre a vigência da norma onde poderão ser locomovidas até o seu fim de prazo de validade. Assim é fundamental que seja comprovado que os produtos foram embalados antes do término do prazo estabelecido.

Com isso, a ANTT espera diminuir o risco no transporte de produtos perigosos assim estabelecidos pela ONU (Organização das Nações Unidas). Foram adicionados a lista mais de de 3 mil mercadorias que podem oferecer riscos à saúde, ao meio ambiente ou à segurança pública. Assim, ao realizar esse transporte, os condutores devem estar atentos a alguns aspectos, como: condições de pneus, freios e iluminação; existência de vazamento; como a carga está posicionada; e se não está transportando produtos perigosos juntamente com outros para consumo humano ou animal, ou que sejam incompatíveis, com risco de gerar reação química. Neste sentido, você deve encontrar uma empresa que tenha conhecimento sobre todas essas novas regras e adapta-las a sua realidade.

Em caso de dúvidas, entre em contato conosco da GFS Transportes.


Deixe seu Comentário.



Comentários no Facebook

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 LinkedIn 0 0 Flares ×